ANO LETIVO NOVO, VELHO PROBLEMA NAS ESCOLAS

17 02 2009

Transcrição: Élcio Braga “O DIA”

Até 5 mil mestres vão dobrar horário para cobrir déficit na rede estadual

Rio – Cadernos em branco e frustração nos dois primeiros dias de aula na rede estadual. No Colégio Fagundes Varella, em Itaipu, Niterói, com déficit de 15 professores, alunos voltaram para casa mais cedo. O Ciep Djanira, em Várzea das Moças, em Niterói, não teve aula à tarde. O Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe) diz que faltam 18 mil mestres. Para contornar o problema, a Secretaria Estadual de Educação autorizou os professores a fazer horas extras (GLP) para cobrir horários vagos, o que equivaleria à contratação de 5 mil mestres.
“A gente tinha de sair às 17h30, mas nos liberaram agora, às 14h30. Hoje só tive aula de Inglês”, conta Tamires Oliveira, 12, da turma 604 do Fagundes Varela. Mateus Erik dos Santos Pereira, 14, da turma 603, lamenta o caderno em branco. “Ontem não tive nenhum tempo. Hoje deveria ter tido aula de Educação Física”, diz.
Ninguém da direção da escola quis falar sobre a situação. A secretaria negou a falta de professores na rede. Informou que o problema ocorre porque concursados, chamados em janeiro, ainda estão em processo de admissão. Com a liberação da GLP, espera-se que os alunos encontrem a grade de horários normalizada.
A falta de aulas levou Leomara Santos, 34, a procurar explicações no Ciep Djanira, em Várzea das Moças. Com três filhos matriculados, apenas o caçula tem aula. “Os outros dois, de 11 e 16 anos, que estão na 5ª série, ficam em casa”, lamenta.
Para o coordenador do Sepe Alex Trentino, a secretaria espera começar o ano para detectar o déficit: “Chamaram agora 2 mil professores, mas até agosto teremos só 800. A maioria sai devido ao salário de R$ 540”. Hoje, às 10h, a entidade faz protesto na porta da secretaria, no Centro.

R$ 1.200 PELA DUPLA JORNADA
Professores da rede estadual interessados em dobrar a carga horária para ganhar um pouco mais no fim do mês já podem se candidatar às horas extras. A inscrição para a Gratificação por Lotação Prioritária (GLP) deve ser feita no site da Secretaria Estadual de Educação (
www.educacao.rj.gov.br), onde há um link específico para a GLP. Os professores precisam informar o número da matrícula, telefone de contato, disciplina que lecionam, o município em que trabalham e dias e horários em que desejam fazer hora extra. Quem preferir pode se cadastrar na própria escola onde leciona.
Com a dupla jornada, a remuneração mínima será de R$ 1.200, por 24 tempos semanais em sala e oito horas extraclasse para planejamento das aulas. A GLP foi criada para suprir a falta temporária de professores e beneficiar quem já é funcionário da rede estadual. “Vamos usar em situações provisórias, como licenças-maternidade e enquanto não chegam às escolas os novos concursados”, diz o subsecretário de Gestão de Recursos e Infra-estrutura, Júlio Cesar da Hora.


Ações

Information

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: