POR QUE A EDUCAÇAO PÚBLICA NO RJ É UM LIXO? (8)

24 04 2008

Auxílio-educação: 98% das certidões eram falsificadas

Antero Gomes e Marcos Nunes – Extra

 

RIO – A Secretaria estadual de Educação concluiu as investigações relativas a 36 escolas particulares que tiveram emitidas, em seus nomes, declarações suspeitas de matrículas de alunos, que foram usadas irregularmente para obtenção de auxílios-educação na Assembléia Legislativa do Rio (Alerj) . Os dados mostram que, de um total de 591 certificados apresentados com os registros desses colégios, apenas 11 eram verdadeiros. Ou seja, 98,14% dos auxílios-educação pagos, nesses casos, foram irregulares.

As falsificações desses certificados fazem parte de um esquema montado por um grupo na Alerj, que ficou conhecido como bolsa fraude. Por cada auxílio conseguido mediante a apresentação desses certificados irregulares, eram desviados R$ 450. Somente no caso dessas 36 escolas, o prejuízo mensal dos cofres públicos era de R$ 261 mil. Em um ano, o desvio chegaria a R$ 3,1 milhões.

A análise dos documentos dessas 36 escolas faz parte de uma investigação feita a pedido da Comissão de Educação. O pedido foi feito, no mês passado, para 55 colégios. Os outros resultados não foram divulgados.

‘Fábrica de certificados’

A intenção era verificar quais filhos de funcionários lotados em gabinetes dos sete primeiros deputados envolvidos no bolsa fraude efetivamente estudavam em escolas particulares. Entre os parlamentares investigados, estavam Renata do Posto (PTB) e Jane Cozzolino – ambas tiveram os mandatos cassados por envolvimento no escândalo na Alerj.

– Esse número reduzido de matrículas verdadeiras mostra que havia uma fábrica de certificados falsos – disse Comte Bitemcourt, presidente da Comissão de Educação, que solicitou a investigação.

Numa única escola

Das 36 escolas, cujos dados já foram analisados pela Secretaria estadual de Educação, o Educandário Martins de Oliveira, em Magé, foi a que teve mais certificados suspeitos apresentados em seu nome: 85. Quando a secretaria visitou a unidade, recebeu a informação que, do total de nomes apresentados, apenas dois efetivamente tinham registro e eram alunos do colégio da Baixada Fluminense.

Anúncios

Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: