POR QUE A EDUCAÇÃO DO RJ É UM LIXO? (4)

2 04 2008

A satisfação de uma das vítimas do bolsa fraude

Antero Gomes – Extra

 

RIO – Enquanto torcia silenciosamente, terça-feira, da galeria B da Assembléia Legislativa, pela cassação do mandato dos quatro parlamentares envolvidos no bolsa fraude, a doméstica Cira Maria de Araújo Costa, de 46 anos, tentava não chamar atenção. Foi impossível. Afinal, essa humilde trabalhadora de Guapimirim pode ser considerada a pivô de todo o processo que cassou os mandatos de Jane e Renata do Posto . Nesta última, por ironia do destino, Cira votou em 2006, ajudando-a a se eleger.

Depois de ter sido nomeada, sem saber, no gabinete do deputado João Peixoto (PSDC), para onde foi levada por aliciadores supostamente ligados a Renata do Posto, Cira comeu o pão que o diabo amassou. Teve seu nome incluído no cadastro de crédito, deve mais de R$ 20 mil na praça e enfrentou ainda a desconfiança de vizinhos. Tudo porque a quadrilha que fraudava o auxílio-educação na Alerj usou a conta aberta no Banco Itaú, no nome da doméstica, para pedir empréstimos. Cira foi à delegacia denunciar a fraude e outros funcionários-fantasmas foram descobertos. O final desta história começou a se desenrolar na terça-feira, com a cassação de Jane Cozzolino (PTC) e de Renata do Posto. Para Cira, o resultado foi um alívio:

 ” Eles têm que pagar pelo que fizeram “

– Eles têm que pagar pelo que fizeram. Até isso acontecer, nunca tive meu nome sujo em lugar nenhum. Minhas contas, eu pago tudo direitinho. Estou aliviada. Só acho que os outros deputados (que foram absolvidos) também são culpados. Não tem inocente, não – disse, com a voz tímida, mas firme, Cira Maria, que voltou feliz para a casa após o resultado da votação de Jane, e à noite, após o fim de todos os julgamentos, conversou com a reportagem do EXTRA pelo telefone Enquanto assistia na galeria da Alerj à votação relativa à cassação do mandato de Jane, Cira manteve-se firme até mesmo quando seus olhos cruzaram com os da deputada Renata do Posto, sentada nas cadeiras do plenário. Ao perceber a presença da doméstica, a parlamentar cassada desviou o olhar. Cinco minutos depois, Renata foi embora, antes mesmo do anúncio de cassação do mandato de Jane Cozzolino  

” Não me arrependo “

– Acho que ela (Renata do Posto) me reconheceu. Deve ver sempre minhas fotos nos jornais. Está todo mundo vendo. Os amigos e vizinhos dizem que estou famosa. Alguns deram conselho para eu me calar, porque dizem que essas pessoas são perigosas e nós somos “inferiores”, mas decidi denunciar. Não me arrependo – afirma a doméstica.

Já sem a presença de Cira nas galerias, Renata foi ao parlatório para se defender na sessão seguinte, que terminou com a cassação do mandato da deputada do PTB. No meio do discurso, a parlamentar citou o nome de Cira Maria – sinal de que, se não a conhecia pessoalmente, ela jamais a esquecerá  

 


E o dinheiro desviado? Não será devolvido?

Anúncios

Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: